Ethos homoafetivo e constructos retórico-discursivos no romance brasileiro contemporâneo: uma análise das obras “Trem fantasma”, de Carlos Hee, e “Cinema Orly, de Luis Capucho

Autores

  • Thiago Ianez Carbonel

DOI:

https://doi.org/10.35921/jangada.v0i1.10

Palavras-chave:

Discurso, Retórica, Literatura Brasileira, Homoerotismo

Resumo

Este estudo objetiva demonstrar como constructos retórico-discursivos podem evidenciar a existência de uma produção homoerótica que caracteriza a realidade de uma literatura gay na produção cultural brasileira. Nosso foco são Trem fantasma, de Carlos Hee, e Cinema Orly, de Luis Capucho, porque nossa finalidade é demonstrar como há uma tendência atual de autores gays escreverem obras literárias de temática gay, e isso não está relacionado apenas a autores mais consagrados, como Caio Fernando Abreu e outros. Na verdade, nós tentamos demonstrar que essa tendência segue diferentes caminhos de acordo com as características pessoais de cada autor.
Palavras-chave: Discurso, Retórica, Literatura Brasileira, Homoerotismo.
----------------------------------------------

This study aims to demonstrate how rethoric-discoursive strategies can evidence the existence of an homoerotic production that characterize the reality of a gay literature in brazilian cultural production. Our focus is on Carlos Hee’s Trem fantasma and Luis Capucho’s Cinema Orly in order to show how there is a current trend of gay authors write gay literary works, and it is not just related to more consagrated authors, like Caio Fernando Abreu and others. Actually, we try to prove that this trend follow different ways accordind the personal features of each author.
Keywords: Discourse, Rethoric, Brazilian Literature, Homoerotism.

Referências

AMOSSY, R. Imagens de si no discurso: o ethos discursivo. Campinas:Contexto, 2008.
BARCELLOS, J. C. “Literatura e homoerotismo masculino: entre a cultura do corpo e o corpo da cultura”. In: LYRA, B; GARCIA, W. (org.) Corpo & Imagem. São Paulo: Arte e Ciência, 2002.
BENVENISTE, E. Problemas de linguística geral (vol. 1). São Paulo: Pontes, 1989.
BESSA, M. S. Histórias positivas. Rio de Janeiro: Record, 1997.
DUCROT, O. O dizer e o dito. Campinas: Pontes, 1984.
ECO, U. Interpretação e superinterpretação. São Paulo: Martins Fontes, 2005.
KRONKA, G. Encenações do corpo. Campinas: UNICAMP, 1995. (tese de doutorado)
LOPES, D. O homem que amava rapazes. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2005.
MAINGUENEAU, D. O contexto da obra literária. São Paulo: Martins Fontes, 2001.
PÊCHEUX, M.; FUCHS, C. “Mises aux points et perpspectives à propôs de l?Analyse Automatique du Discours”. In: Langages, n. 37, p. 7-80, 1975.
SONTAG, S. A doença como metáfora/ AIDS e suas metáforas. São Paulo: Companhias das Letras, 2007.
TREVISAN, João Silvério. Devassos no Paraíso. São Paulo: Max Limonad, 1986.

Downloads

Publicado

2018-03-30

Como Citar

Carbonel, T. I. (2018). Ethos homoafetivo e constructos retórico-discursivos no romance brasileiro contemporâneo: uma análise das obras “Trem fantasma”, de Carlos Hee, e “Cinema Orly, de Luis Capucho. Jangada: Crítica | Literatura | Artes, (1), 1–15. https://doi.org/10.35921/jangada.v0i1.10

Edição

Seção

Varia