Joaquim Tenreiro: mobiliário moderno artesanal

Autores

  • Marcia Campos Bleich

DOI:

https://doi.org/10.35921/jangada.v0i8.124

Palavras-chave:

Joaquim Tenreiro, Mobiliário Moderno, Modernismo, Mobiliário Brasileiro, Design de interiores

Resumo

Resumo: Nascido em Portugal, Joaquim de Albuquerque Tenreiro, mudou-se definitivamente para o Brasil, no ano de 1928, após passar duas temporadas em terras brasileiras. De sua família herdou a profissão de marceneiro que, ligada à sua grande paixão pelas artes plásticas, possibilitou transformar seus móveis em peças diferenciadas, esculturas em marcenaria, palha e couro. Tenreiro estudou as madeiras brasileiras e introduziu no cenário nacional móveis esteticamente modernos, representados por peças dignas das mais importantes escolas de design da Europa. Em sua juventude, desejava ser arquiteto. Não teve a chance de se dedicar à formação acadêmica, mas, é reconhecido como um dos criadores do mobiliário moderno brasileiro. Embora distante dos movimentos de arquitetura e design do início do século XX, ele criou um mobiliário moderno, de formas limpas, em total sintonia com as ideias defendidas pelas escolas de arte que tiveram início na Europa no período entre guerras, principalmente a escola de Arte, design e arquitetura da República de Weimar, denominada Bauhaus. Tenreiro teve importante contribuição na criação do mobiliário brasileiro e, embora sua obra seja sempre estudada e apresentada como moderna, sua defesa do trabalho artesanal se apresenta como uma contradição pois, na visão dos idealizadores do modernismo europeu, os designers deveriam estar preparados para criar peças que seriam desenvolvidas em série e não de forma artesanal.

Palavras-chave: Joaquim Tenreiro, Mobiliário Moderno, Modernismo, Mobiliário brasileiro, Design de Interiores.

________________________
Abstract: Born in Portugal, Joaquim Tenreiro Albuquerque, he moved permanently to Brazil in 1928 after spending two seasons in Brazilian lands. His family inherited the profession of cabinetmaker that linked to his great passion for art, enabled turn your mobile into different pieces, sculptures in carpentry, straw and leather. Tenreiro studied Brazilian woods and entered the national scene aesthetically modern furniture, represented by pieces worthy of the most
important European design schools. In his youth, he wanted to be an architect. He did not have the chance to devote himself to academic education, but is recognized as one of the creators of modern Brazilian furniture. Although far from architectural movements of the early twentieth century design, he created a modern furniture, clean shapes, in tune with the ideas defended by the art schools that began in Europe in the interwar period, especially the Art School, design and architecture of the Weimar Republic, called Bauhaus. Tenreiro had an important contribution to the creation of the Brazilian furniture and although his work is always studied and presented as modern, his defense of craft work is presented as a contradiction because, in the view of the creators of European modernism, designers should be prepared to create pieces that would be developed in series and not by hand.

Keywords: Joaquim Tenreiro, Modern Furniture, Modernism, Brazilian Furniture, Interior.

Referências

Cals, S. (2000). Tenreiro. Rio de Janeiro: Bolsa de Arte.
Cavalcanti, L. (2001). Quando o Brasil era Moderno - Guia de Arquitetura 1928-1960. Rio de Janeiro: Aeroplano.
COSTA, L. (1939). Notas sobre a evolução do mobiliário brasileiro. Revista do serviço do patrimônio histórico e artístico nacional, 149-162.
FREYRE, G. (2002). Sobrados e Mucambos. Rio de Janeiro : Record.
GROPIUS, W. (1988). Bauhaus: novarquitetura. São Paulo: Perspectiva.
http://www.asminasgerais.com.br. (23 de 04 de 2016). Fonte: Estação das Minas Gerais: http://www.asminasgerais.com.br/zona%20da%20mata/uniVlerCidades/mo
dernismo/Arquitetura/index.htm
http://www.james-paris.com. (26 de 04 de 2016). Fonte: James: http://www.james-paris.com/new-page-2-2/
https://legadoarte.wordpress.com. (20 de março de 2016). Fonte: Legado Arte: https://legadoarte.wordpress.com/category/joaquim-tenreiro/page/2/
Jencks, C. (1985). Movimentos Modernos em Arquitetura. São Paulo: Martins Fontes.
Kopp, A. (1990). Quando o moderno não era um estilo e sim uma causa. São Paulo: Nobel.
Me l l o, F. A. (2014). Cataguases e suas modern i dades. Brasilia.
MMM, A., & Macedo, R. d. (Janeiro de 1985). Madeira Arte e Design. Rio de Janeiro: Galeria de Arte do Centro Empresarial Rio.
Pevsner, N. (1980). Os pioneiros do design moderno de William Morris a Walter Gropius. São Paulo: Martins Fontes.
SANTOS, M. C. (1995). Móvel Moderno no Brasil. São Paulo: Studio Nobel.
Tenreiro, J. (1955). Sobriedade, distinção e acolhimento. Módulo Brasil Arquitetura, 58-61.
TENREIRO, J. (1967). O desenho do móvel. Revista Arquitetura nº61.

Downloads

Publicado

2018-05-01

Como Citar

Bleich, M. C. (2018). Joaquim Tenreiro: mobiliário moderno artesanal. Jangada: Crítica | Literatura | Artes, (8), 138–156. https://doi.org/10.35921/jangada.v0i8.124