Mulherio da ousadia: a ressignificação de Capitu a partir das estratégias metaficcionais de Ana Maria Machado em "A audácia dessa mulher"

Autores

  • Karla Vivianne Oliveira Santos Universidade Federal do Piauí - UFPI
  • Sebastião Alves Teixeira Lopes Universidade Federal do Piauí - UFPI.

DOI:

https://doi.org/10.35921/jangada.v1i14.229

Palavras-chave:

Personagem feminina, Ousadia, Metaficção, Ana Maria Machado

Resumo

Ela tinha olhos de cigana, oblíqua e dissimulada. Assim era Capitu, descrita por Machado de Assis sob o olhar do menino Bentinho, em Dom Casmurro. Esta personagem é recriada por Ana Maria Machado, em A audácia dessa mulher (2011), obra publicada em homenagem ao centenário do clássico machadiano. A autora nos apresenta mulheres audaciosas, descontentes com o papel de subserviência que a tradição patriarcal insiste em lhes reservar. Sob o viés da crítica literária, as estratégias narrativas utilizadas pela autora em seu romance podem ser consideradas metaficcionais, uma vez que promovem uma autorreflexividade do texto, em que este se volta sobre si mesmo, contendo, em seu bojo, questionamentos ou comentários sobre o seu estatuto ficcional, narrativo, linguístico e também sobre o seu processo de produção. Tendo isso em vista, este trabalho busca averiguar de que maneira essas estratégias promovem a ressignificação da personagem Capitu na referida obra. Para tanto, utilizamos as contribuições teóricas de Linda Hutcheon (1991), Patrícia Waugh (1985), Zênia de Faria (2012), Gabriela Patrocinio (2014). Em nossa análise, podemos compreender melhor o papel que a personagem machadiana desempenhava no contexto do século XIX e de que maneira a autora do século XX resgata e ressignifica sua trajetória.

Biografia do Autor

Sebastião Alves Teixeira Lopes, Universidade Federal do Piauí - UFPI.

Doutor em Letras (Língua Inglesa e Literaturas Inglesa e Norte-Americana) pela Universidade de São Paulo (USP). Professor do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal do Piauí (PPGEL/UFPI).

Referências

ASSIS, Machado de. Dom Casmurro. São Paulo: Orbis Editora. 2011.

FARIA, Zênia de. A metaficção revisitada: uma introdução. Signótica, v. 24, n. 1, p. 237-251, jan./jun. 2012

FARIAS, L. W. B. A audácia dessa mulher: Ana Maria Machado e a subversão do cânone na reescrita de Capitu. 2007. 236 p. Dissertação (Mestrado em Letras). Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2007.

HUTCHEON, Linda. Poética do pós-modernismo: história, teoria, ficção. Tradução: Ricardo Cruz. Rio de Janeiro: Imago Ed.,1991.

HUTCHEON, Linda. Uma teoria da paródia. Lisboa: Edições 70, 1989.

MACHADO, Ana Maria. A audácia dessa mulher. 3ª Edição. Rio de Janeiro: Objetiva, 2011.

PATROCÍNIO, Gabriela T. G. Ana Maria Machado: da criação ficcional à crítica – O valor da leitura literária. 2014. 106 p. Dissertação (Mestrado em Letras). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), São Paulo, 2014.

WAUGH, Patricia. Metafiction: the theory and practice of self-conscious fiction. London; New York: Routledge, 1984.

ZOLIN, Lúcia O. A personagem feminina na literatura brasileira escrita por mulheres: de objeto a sujeito. In: XI SEMINÁRIO INTERNACIONAL MULHER E LITERATURA. II SEMINÁRIO INTERNACIONAL MULHER E LITERATURA. Anais. Rio de Janeiro, UERJ, 2005, p. 1291-1302.

Downloads

Publicado

2019-12-22

Como Citar

Oliveira Santos, K. V., & Teixeira Lopes, S. A. (2019). Mulherio da ousadia: a ressignificação de Capitu a partir das estratégias metaficcionais de Ana Maria Machado em "A audácia dessa mulher". Jangada: Crítica | Literatura | Artes, 1(14), 187–200. https://doi.org/10.35921/jangada.v1i14.229

Edição

Seção

Dossiê