Terra sonâmbula: a (re)construção da identidade do ser africano a partir da língua portuguesa

Autores

  • Alexandre António Timbane Universidade de Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
  • Ivonete da Silva Santos Universidade Federal de Catalão

DOI:

https://doi.org/10.35921/jangada.v1i16.317

Palavras-chave:

Identidade. Língua portuguesa. (Re)construção identitária.

Resumo

O presente artigo visa analisar a obra Terra sonâmbula (2007), de Mia Couto, objetivando descrever o modo como o sujeito africano se apresenta identitariamente ao longo do romance por meio da língua portuguesa, uma vez que este ao utilizar a língua do colonizador está de algum modo limitando o uso da língua materna e, por isso, reinventa um novo jeito de viver a sua própria história. Especificamente, demonstrar como e porque as tradições culturais moçambicanas são importantes para a efetivação da identidade linguística, em língua portuguesa, das personagens Tuahir e Muidinga; contribuir para a discussão sobre as questões linguísticas e culturais que influenciam na (re)construção das identidades sociais, sejam elas reais ou fictícias. Ao mesmo tempo que a obra apresenta as personagens Tuahir e Muidinga como reveladoras da realidade e das tradições moçambicanas mostra, também, uma possível transição para um mundo em que a realidade é atormentada por uma guerra que massacra as identidades existentes. E estas se (re)constroem por meio da relação entre o novo e o velho, num diálogo em língua portuguesa.

Referências

AZEVEDO, J. Culturas: a construção das identidades. In: Africana Studia. nº 3, Porto, p. 165-182, 2000.

BAGNO, M. O que é uma língua? Imaginário, ciência & hipóstase. In: LAGARES, X. C.; BAGNO, M. (Org.). Políticas da norma e conflitos linguísticos. São Paulo: Parábola Editorial, 2011.

BAUMAN, Z. Identidade. Tradução de Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005.

BOSI, E. O tempo vivo da memória: ensaios de psicologia social. 2.ed. São Paulo: Ateliê Editorial, 2003.

________. Memória e Sociedade: lembranças dos velhos. 3.ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

BRITO, R. P.; HANNA, V. L. H. Busca identitária em espaço lusófono: Timor-Leste. In: BASTOS, Neusa Barbosa (Org.). Língua portuguesa e lusofonia. São Paulo: Ed.PUC-SP, 2015.

COUTO, M. Terra Sonâmbula. 17. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

CUCHE, D. A noção de cultura nas ciências sociais. Tradução de Viviane Ribeiro. Bauru: Edusc, 1999.

HALL, S. Cultural identity and diáspora. In: RUTHERFORD, J. (Org.). Identity: community, culture, difference. Londres: Lawrence Wishart, 1990.

HALL, S. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Tradução de Adelaine La Guardia Rezende et.al. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2011.

PERINI, M. A. A língua do Brasil amanhã e outros mistérios. São Paulo: Parábola, 2004.

RAJAGOPALAN, K. Por uma linguística crítica: linguagem, identidade e a questão ética. São Paulo: Parábola Editorial, 2003.

SANTOS, I. S.; TIMBANE, A. A. A identidade linguística brasileira e portuguesa: duas pátrias, uma mesma língua? Curitiba: Appris, 2020.

SILVA, T. T. da. A produção social da identidade e da diferença. In: SILVA, T. T. da; HALL, S.; WOODWARD, K. (Org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. 15.ed. Petrópolis: Vozes, 2014.

TIMBANE, A. A. A variação linguística do português moçambicano: uma análise Sociolinguística da variedade em uso. In: Revista Internacional Em Língua Portuguesa, (32), 19-38, 2018.

TIMBANE, A. A.; SANTOS, I. da S.; ALVES, M. J. Os caminhos da variação léxico- semântica no Brasil, em Portugal e em Moçambique. In: PAULA, M. H. de; SANTOS, M. P. dos; PERES, S. M. (Org.). Perspectivas em estudos da linguagem. São Paulo: Blucher, 2017.

VANNUCCHI, A. Cultura brasileira: o que é, como se faz. 5. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2011.

Downloads

Publicado

2021-01-30

Como Citar

Timbane, A. A., & Santos, I. da S. . (2021). Terra sonâmbula: a (re)construção da identidade do ser africano a partir da língua portuguesa . Jangada: Crítica | Literatura | Artes, 1(16), 298–320. https://doi.org/10.35921/jangada.v1i16.317