Silenciamento do nome Voldemort em 'Harry Potter': apontamentos sobre discurso e poder

Autores

  • Joseeldo da Silva Junior Universidade Federal da Paraíba

DOI:

https://doi.org/10.35921/jangada.v1i18.391

Palavras-chave:

Harry Potter, Discurso, Relações de poder, Silenciamento

Resumo

Este artigo visa analisar o discurso de silenciamento e as relações de poder na obra Harry Potter. Como se sabe, a narrativa J. K Rowling é um dos maiores fenômenos da literatura contemporânea, vindo a se tornar objeto de estudo nos diversos campos do saber. Neste estudo, a partir da Análise do Discurso “com” Foucault, propomos perscrutar a pertinência das noções de discurso e poder, tomando como problema o fenômeno do silenciamento promovido ao nome Voldemort – o antagonista da trama. Durante toda a série o nome do vilão é frequentemente substituído pelo qualificações como “Aquele-Que-Não-Deve-Ser-Nomeado” ou “Você-Sabe-Quem”, como estratégia para evitar a sua nomeação, cabendo apenas a Harry e Dumbledore resistirem e demarcarem posição contra o bruxo. As análises apontaram para uma política de silêncio em que opera o medo, como se Voldemort representasse, em outro contexto, a figura ocidental do diabo, daí um dos motivos do apagamento de seu nome. Quanto a metodologia deste estudo, trata-se de uma pesquisa de cunho qualitativo com viés descrito-interpretativo, que toma como arcabouço as teorizações de Michel Foucault.

Referências

DELEUZE, G. Michel Foucault: o poder. 1. ed. São Paulo: Editora Politeia, 2020.

DURÃO, F. A. Reflexões sobre a metodologia de pesquisa nos estudos literários. D.E.L.T.A. v. 31-especial, p. 377-390, 2015. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/0102-445014919759499939. Acesso em: 07 jul. 2021.

FERNANDES, C. A.; ALVES JÚNIOR, J. A. Sujeito discursivo e construção identitária do mendigo. In: NAVARRO, P. (Org.). O discurso nos domínios da linguagem e da história. São Carlos: Editora Claraluz, 2008. p. 101-110.

FOUCAULT, M. O sujeito e o poder. In: DREYFUS, Hubert L. & RABINOW, Paul (Orgs). Michel Foucault, uma Trajetória Filosófica: para além do estruturalismo e da hermenêutica. Trad. Vera Portocarrero. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1995, p. 230-249.

________. Poder e saber. In: MOTTA, M. B. da. (Org.). Ditos e Escritos IV: Estratégia, Poder-Saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006a. p. 244-240.

________. Poderes e estratégias. In: MOTTA, M. B. da. (Org.). Ditos e Escritos IV: Estratégia, Poder-Saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006b. p. 241-252.

________. A Arqueologia do Saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010.

________. A Ordem do Discurso. Aula Inaugural no Collège de France, pronunciada em 2 de dezembro de 1970. 24. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2014

________. História da Sexualidade I: a vontade de saber. 7. ed. Trad. Maria Thereza Costa Albuquerque e J. A. Guilhon Albuquerque. São Paulo: Paz & Terra, 2018.

MACHADO, R. Introdução: por uma genealogia do poder. In: FOUCAULT, M. Microfísica do Poder. 5. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2017.

MAINGUENEAU, D. Formação discursiva, unidades tópicas e não-tópicas. In: BARONAS, R. L. (Org.). Análise de discurso: apontamentos para uma história da noção-conceito de formação discursiva. Araraquara: Letraria, 2020. p. 195-209. Disponível em: https://www.letraria.net/wp-content/uploads/2020/03/An%C3%A1lise-de-discurso-apontamentos-para-uma-hist%C3%B3ria-da-no%C3%A7%C3%A3o-conceito-de-forma%C3%A7%C3%A3o-discursiva-Letraria.pdf.

MAGALHÃES, A. C. M.; BRANDÃO, E. O Diabo na arte e no imaginário ocidental. In: MAGALHÃES, A. C. M., et al. (Orgs). O demoníaco na literatura. Campina Grande: EDUEPB, 2012. p. 277-290.

NAVARRO, P. Estudos discursivos foucaultianos: questões de método para análise de discursos. Moara, Belém, v. 1, n. 57, p. 8-33, 2020. Disponível em: https://www.periodicos.ufpa.br/index.php/moara/article/view/9682. Acesso em: 15 jul. 2021.

PEREIRA, P. G. A constituição das posições-sujeito aluno e professor de inglês por acadêmicos do curso de Letras. Anais do SILEL. vol. 2, n. 2. Uberlândia: EDUFU, 2011. Disponível em: http://www.ileel.ufu.br/anaisdosilel/pt/arquivos/silel2011/2065.pdf. Acesso em: 06 jul. 2021.

ORLANDI, E. As formas do silêncio: no movimento dos sentidos. 6. ed. Campinas/SP: Editora Unicamp, 2007.

AFAILOV, I. Dicionário Igor de fobias: com sinônimo e termos correlatos. Recife: Editora Livro Rápido, 2003. p. 117.

ROWLING, J.K. Harry Potter e a Ordem da Fênix. Rio de Janeiro: Rocco, 2015a, 640p.

________. Harry Potter e a Pedra Filosofal. Rio de Janeiro: Rocco, 2015b, 208p.

________. Harry Potter e a Câmara Secreta. Rio de Janeiro: Rocco, 2015c, 224p.

________. Harry Potter e as Relíquias da Morte. Rio de Janeiro: Rocco, 2015d, 640p.

SAMPAIO, S. S. Resistências. Revista Aulas, Campinas, v. 3, 2007. Disponível em: https://www.ifch.unicamp.br/ojs/index.php/aulas/article/view/1937/1398. Acesso em: 10 jul. 2021.

SANTOS, J. F. de C. G. dos. Os Talismãs da Vida: Magia, Religião e Ciência na Saga de Harry Potter. Porto: Faculdade de Letras da Universidade do Porto, 2015.

VEIGA-NETO, A.; RECH, T. L. Esquecer Foucault? Pro-Posições. Campinas. v. 25, n. 2, p. 67-82. 2014. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0103-73072014000200004. Acesso em: 28 jul. 2021.

VEYNE, Paul. Foucault: seu pensamento, sua pessoa. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2014.

VOSS DOS SANTOS, J. Especificidades do discurso e das formações discursivas para Michel Foucault: práticas discursivas e não discursivas. In: BARONAS, R. L. (Org.). Análise de discurso: apontamentos para uma história da noção-conceito de formação discursiva. Araraquara: Letraria, 2020. p. 338-360.

VOSS, J. O objeto do discurso como princípio de caracterização de uma formação discursiva: sobre a responsabilidade social na publicidade impressa brasileira. Revista Educação e Linguagens, Campo Mourão, v. 1, n. 1, ago./dez, 2012. Disponível em: http://www.fecilcam.br/revista/index.php/educacaoelinguagens/article/viewFile/610/345. Acesso em: 20 jul. 2021.

Downloads

Publicado

2021-12-30

Como Citar

da Silva Junior, J. (2021). Silenciamento do nome Voldemort em ’Harry Potter’: apontamentos sobre discurso e poder. Jangada: Crítica | Literatura | Artes, 2(18), 158–172. https://doi.org/10.35921/jangada.v1i18.391