A base da altura: sobre os quadros sociais da criatividade artístico-literária com um estudo no Brasil

Autores

  • Pierfranco Malizia

DOI:

https://doi.org/10.35921/jangada.v0i5.69

Palavras-chave:

Arte, Literatura, Sociedade, Criatividade, Indústria cultural, Mundos artísticos

Resumo

Este trabalho parte de um tema de base e de uma hipótese: o tema consiste na ideia de que o artista pensa-age-cria em uma sociedade por meio de um processo de socialização, no qual se inserem as instituições, a economia, a política etc. e por meio da qual estabelece relações duradouras, “competências-capacidades-genialidades”, que faz de um artista um artista (ou seja, a individualidade, a subjetividade do artista e da sua criatividade). A hipótese consiste, então, no fato de que é possível individuar os quadros sociais que, tanto a priori quanto a posteriori, orientam e influenciam a criatividade literária e artística em geral. Por último, quase como uma exemplificação, algumas páginas sobre um escritor e poeta “absolutamente social”: o brasileiro Aldir Blanc.

Palavras-chave: Arte; literatura; sociedade; criatividade; indústria cultural; mundos artísticos.

Referências

ARCHER, Margaret. La morfogenesi della società: una teoria sociale realista. Milano: Franco Angeli, 1997.
BECKER, Howard. Outsiders: studies in the sociology of deviance. Torino: Abele, 1991.
BECKER, Howard Saul. I mondi dell’arte. Bologna: Il Mulino, 2004.
BLANC, Aldir. Simples e absurdo. Rio de Janeiro: Velas Produções, 1994.
BLANC, Aldir. Um cara bacana na 19ª. Rio de Janeiro: Record, 1996.
BLANC, Aldir. 50 anos. Rio de Janeiro: Alma Produções, 1997.
BLANC, Aldir. Rua dos artistas e transversais. Rio de Janeiro: Agir, 2006.
BLANC, Aldir. Guimbas. Rio de Janeiro: Desiderata, 2009.
BOSCO, João. Songbook. Rio de Janeiro: Lumiar Produções, 2002.
BOURDIEU, Pierre. Questions de sociologie. Paris: Minuit, 1980.
CASTRO, Ruy. Carnaval no fogo. Rio de Janeiro: Companhia das Letras, 2003.
CIRESE, Alberto Maria. Cultura egemonica e culture subalterne: rassegna degli studi sul mondo popolare tradizionale. Palermo: Palumbo, 1996.
CRANE, Diana. La produzione culturale. Bologna: Il Mulino, 1997.
CRESPI, Franco. Manuale di sociologia della cultura, Bari, Laterza, 1996.
DAMATTA, Roberto. O que faz o brasil Brasil? Rio de Janeiro: Rocco, 1984.
NICOLA, José de. Literatura Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Literatura, 1999.
LONGO, Gioia Di Cristofaro. Identità e cultura: per un'antropologia della reciprocità. Roma: Studium, 1996.
DURKHEIM, Émile. La scienza sociale e l’azione. Milano: Il Saggiatore, 1972.
GALLINO, Luciano. Dizionario di sociologia. Torino: UTET, 1993.
GARDINER, Howard. Formae Mentis. Milano: Feltrinelli, 1991.
HIRSCH, Paul M. Processing fads and fashion. Annual Journal of Sociology, v. 77, n. 4, 1972, p. 639-659.
KÖNIG, René. Sociologia. Milano: Feltrinelli, 1964.
IZZO, Alberto. Storia del pensiero sociológico. Bologna: Il Mulino, 1991.
LUZ, Moacyr. 1988. Rio de Janeiro: Dabliù Discos, 1988.
LUZ, Moacyr. Vitória da ilusão. Rio de Janeiro: Maracujazz Produções, 1995.
MALIZIA, Pierfranco. Configurazioni. Milano: Franco Angeli, 2007.
MERTON, Robert. Teoria e struttura sociale. Bologna: Il Mulino, 1992.
MORRA, Gianfranco. Propedeutica sociológica. Bologna: Monduzi, 1994.
SCIOLLA, Loredana. Sociologia dei processi culturali. Bologna: Il Mulino, 2002.
SEYMOUR-SMITH, Charlotte. Dizionario di antropologia. Firenze: Sansoni, 1991.
SIMMEL, Georg. La metropoli e la vita dello spirito. Roma: Armand, 1995.
STRASSOLDO, Raimondo. Forma e funzione. Udine: Forum, 2001.
WIRTH, Louis. L’urbanesimo come modo di vita. Roma: Armando, 1998.
ZOLBERG, Vera L. Sociologia dell’arte. Bologna: Il Mulino, 1994.

Downloads

Publicado

2018-04-06

Como Citar

Malizia, P. (2018). A base da altura: sobre os quadros sociais da criatividade artístico-literária com um estudo no Brasil. Jangada: Crítica | Literatura | Artes, (5), 64–86. https://doi.org/10.35921/jangada.v0i5.69

Edição

Seção

Varia