Motta Coqueiro ou a pena de morte: uma trama entre a memória social e a literatura

  • Marcos Teixeira de Souza
Palavras-chave: José do Patrocínio, Memórial social, Motta Coqueiro

Resumo

Motta Coqueiro ou a pena de morte, escrito em 1877, por José do Patrocínio, rememora o caso real do último enforcamento no Brasil, o do mandante de um violento crime ocorrido no norte fluminense em 1852, controverso até a presente data, contra uma família de agregados, que vivia nas terras do citado fazendeiro. Porém, não restrito ao evento trágico, o romancista leva perspicazmente o leitor para uma narrativa, que ressalta o drama dos negros, dos agregados e do fazendeiro na estrutura colonial; que desnuda os critérios de cor e classe social no Brasil colônia; que evidencia o papel da Memória como uma ferramenta manipulável, ativa e estratégica nas relações sociais.

Palavras-chaves: José do Patrocínio; Motta Coqueiro; Memória Social.

Referências

ALVES, Uelinton Farias. José do Patrocínio: a imorredoura cor do bronze. Rio de Janeiro : Garamond, 2009.
BARROS, José D’Assunção. O campo da história: especialidades e abordagens. Petrópolis: Vozes, 2010.
BERGSON, Henri. Memória e vida; textos escolhidos por Gilles Deleuze. São Paulo: Martins Fontes, 2006.
BOSI, Alfredo. História concisa da Literatura Brasileira. 43ª Ed. São Paulo: Cultrix, 2006.
BRUZZI, Nilo. José do Patrocínio, romancista. Rio de Janeiro: Aurora, 1959.
COUTINHO, Afrânio (org.) A literatura no Brasil. Vol I e VI. São Paulo: Global Editora, 1997.
COUTINHO, Afrânio. Introdução à literatura no Brasil. 11ª Ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1983.
DAMATTA, Roberto. O que faz o Brasil, Brasil? Rio de Janeiro: Rocco, 1986.
DANTAS, Carolina Vianna. O Brasil “café com leite”: debates intelectuais sobre mestiçagem e preconceito de cor das primeiras décadas republicanas. Rio de Janeiro: Tempo, v. 13, 2009.
HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Centauro, 2006.
HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. São Paulo: Companhia de Letras, 1995.
LE GOFF, Jacques. História e Memória. Campinas: Editora da UNICAMP, 1990.
MAGALHÃES JUNIOR, Raimundo. A vida turbulenta de José do Patrocínio. Rio de Janeiro: Editora Sabiá, 1969.
MIGUEL-PEREIRA, Lúcia. História da Literatura Brasileira: Prosa de ficção de 1870 a 1920. Rio de Janeiro: Livraria J. Olympia Editora/MEC, 1973.
MÖLLER, Renato César. A fera de Macabu: memórias de um crime, uma pena de morte e uma maldição. Rio de Janeiro: UERJ, Tese de Doutorado, 2007.
ORICO, Osvaldo. O tigre da Abolição. Rio de Janeiro: Gráfica Olímpia Editora, 1953.
PATROCÍNIO, José do. Motta Coqueiro ou a pena de morte. Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves/SEEC, 1977.
PINTO, Jorge Renato Pereira. José do Patrocínio: o herói esquecido. Campos dos Goytacazes: Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima, 2003.
POLLAK, Michael. Memória, Esquecimento, Silêncio. Estudos Históricos. Rio de Janeiro: Cpdoc/Fundação Getúlio Vargas. v.2, nº 3, 1989. p. 3-15.
POLLAK, Michael. Memória e Identidade Social. Estudos Históricos. Rio de Janeiro: Cpdoc/ Fundação Getúlio Vargas. vol. 5. nº 10, 1992. p. 200 a 215.
RABASSA, Gregory. O negro na ficção brasileira. Rio de Janeiro: Edições Tempo Brasileiro,1965.
TINOCO, Godofredo. Mota Coqueiro, a Grande Incógnita. Rio de Janeiro: Livraria São José, 1966.
Publicado
2018-04-05