Ópera de mulher: projeto de encenação e interpretação musical

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35921/jangada.v1i14.231

Palavras-chave:

ópera, teatro, séc. XIX, soprano, construção da personagem, estados emocionais

Resumo

Na interpretação de uma obra musical cantada, em particular de uma ópera, o cantor-ator tem um papel determinante na transmissão não só das componentes informativas, a nível do texto musical e literário, mas também dos estados emocionais das personagens, através de indicadores ou marcadores não verbais. Neste artigo apresentamos uma proposta de encenação e os métodos que usamos para fundamentar teoricamente o projeto. Trata-se da interpretação de dez personagens femininas soprano de óperas italianas do século XIX, composto por duas árias de cada um dos cinco compositores italianos escolhidos: Lucilla: “Sento talor nell'anima” [Rossini, La scala di seta (1812)]; Anna: “Giusto Ciel in tal periglio” [Rossini, Maometto II  (1820)]; Norma: “Casta Diva” [Bellini, Norma (1831)]; Elvira: “Qui la voce sua soave… vien diletto” [Bellini, I Puritani (1835)]; Marie: “Ciascun lo dice” [Donizetti, La Figlia del Reggimento  (1839)]; Rita: “E’ lindo e civettin questo caro alberguccio” [Donizetti, Rita (1841)]; Gilda: “Tutte le feste al tempio” [Verdi, Rigoletto (1850)]; Oscar: “Volta la Terra...” [Verdi, Un Ballo in Maschera (1859)]; Anna: “Se come voi piccina io fossi” [Puccini, Le Villi (1884)]; Musetta: “Quando men vo” [Puccini, La Bohéme (1895)]. O espetáculo tem a duração de cerca de 45 minutos e tivemos particular atenção aos estados emocionais de cada uma das personagens, para a interpretação das respetivas árias, bem como a cenografia e os adereços.

Com este projeto, concluímos que, ainda que vocal e tecnicamente possa ser bem executada, não é possível realizar uma correta interpretação de uma ária sob o ponto de vista dramático sem conhecer previamente a personagem, a sua personalidade e, especialmente, os estados emocionais presentes em cada um dos momentos

Referências

AMARAL, Ana Maria. O ator e seus duplos: máscaras, bonecos, objetos. São Paulo: Editora SENAC, 2002.

ARAÚJO, José Manuel da Silva. Canto e Emoção - indicadores emocionais não verbais na execução do discurso musical cantado. Tese de Doutoramento. Aveiro. Universidade de Aveiro, 2012.

BARBOSA, Pedro. Teoria do Teatro Moderno: A hora zero. Porto: Edições Afrontamento, 2003.

CABRAL, Carlos. Manual de Encenação. Lisboa: INATEL, 2006.

COSTA, J. Almeida & MELO, A. Sampaio. Dicionário da Língua Portuguesa. Porto: Porto Editora, 2005.

MATOS, Luís de. Manual de Objectos de Cena. Lisboa: INATEL, 2008.

MAYS, Desirée. Opera unveiled 2012. Opera Unveiled Series, vol. 14. Santa Fe: Santa Fe Opera, 2012.

PAVIS, Patrice. Dicionário de Teatro. São Paulo: Editora Perspectiva, 2005.

SIMÕES, Edson (2010): “A construção da personagem no teatro pelo olhar da psicologia social”. Encontro: Revista de Psicologia, vol. 13, n.o 19, p. 33-53.

THAMM, Robert A. “The Classification of Emotions”. In: STETS, Jan E. & Jonathan H. TURNER (eds). Handbook of the Sociology of Emotions. New York: Springer, p. 11-37, 2006.

VIANA, Isabel. A Personagem Feminina em Óperas do Romantismo Italiano: estados emocionais em dez árias para soprano. Dissertação de Mestrado. Aveiro: Universidade de Aveiro, 2012.

VIANA, Isabel. “Comunicação não verbal e expressões faciais das emoções básicas”. In: Revista de Letras, 13, p. 165-181, 2014.

VIANA, Isabel. “O papel da mulher na ópera italiana do século XIX”. In: Jangada: crítica, literatura, artes, 12 (Vozes d’Além-Mar / Voices Beyond the Sea), p. 138-157, 2018a.

VIANA, Isabel. “Métodos de Construção da Personagem nas Artes Performativas”. In: SOARES, Maria Luísa, Natália AMARANTE, Daniela FONSECA, Sónia COELHO & Susana FONTES (eds). (Co)Insistências: Estudos em Letras, Artes e Comunicação. Vila Real: Centro de Estudos em Letras, p. 121-132, 2018b.

Downloads

Publicado

2019-12-22

Como Citar

Viana, I., & Oliveira, J. L. de. (2019). Ópera de mulher: projeto de encenação e interpretação musical. Jangada: Crítica | Literatura | Artes, 1(14), 58–90. https://doi.org/10.35921/jangada.v1i14.231

Edição

Seção

Dossiê