A poética do jornal oitocentista: um cotejo entre Eugène Pelletan e Machado de Assis

Autores

  • Dayane Mussulini Unesp

DOI:

https://doi.org/10.35921/jangada.v1i16.311

Palavras-chave:

Machado de Assis, Eugène Pelletan, imprensa periódica, crítica literária, progresso

Resumo

A existência de uma poética do jornal oitocentista pode ser pensada não só a partir da elaboração de uma retórica semelhante entre os escritores do século XIX, que emprestavam estratégias ficcionais aos periódicos em que colaboravam e vice-versa, como também, segundo demonstra Lúcia Granja (2018), por meio de intertextualidades (citações, alusões, pastiches, paródias e demais referências) comuns entre autores e obras. Além disso, tais reincidências apontavam para leituras compartilhadas e trocadas entre os diferentes continentes, bem como contribuíam para a formação de certo gosto cultural, de acordo com as escolhas dos jornalistas. Percurso semelhante é reconhecível entre Eugène Pelletan, escritor e jornalista francês, e Machado de Assis. Ambos defenderam o jornal enquanto espaço democrático e liberal para a transmissão de ideias. A partir dessa aproximação, procederemos ao cotejo entre os dois autores, a fim de verificar como o assunto e as estratégias retóricas assemelham-se, configurando uma prática então em voga, e também como se diferenciam, tendo em vista as particularidades de Machado de Assis.

Referências

ASSIS, J. M. Machado de. Obra completa em quatro volumes. São Paulo: Nova Aguilar, 2015.

AZEVEDO, Sílvia M.; DUSILEK, Adriana; CALLIPO, Daniela M. (Orgs.). Machado de Assis: crítica literária e textos diversos. São Paulo: UNESP, 2013.

CANDIDO, Antonio. A vida ao rés-do-chão. In: ANDRADE, Carlos Drummond de et al. Para gostar de ler: crônicas. São Paulo: Ática, 1982, v. 5, p. 5-23.

DIAZ, José-Luiz. L’e?crivain imaginaire: sce?nographies auctoriales a? l’e?poque romantique. Paris: Honore? Champion, 2007.

GRANJA, Lúcia. Machado de Assis – Antes do livro, o jornal. Suporte, mídia e ficção. São Paulo: Unesp, 2018.

JAMESON, Fredric. Espaço e imagem: teoria do pós-moderno e outros ensaios. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1995.

KALIFA, Dominique; et al. La civilisation du journal. Une histoire de la presse française au XIXe siècle. Paris: Nouveau Monde, 2011.

MASSA, Jean Michel. A juventude de Machado de Assis: 1839-1819. Prólogo de Antonio Candido.Tradução de Marco Aurélio de Moura Matos. 2ª ed. rev. São Paulo: UNESP, 2009.

MUSSULINI, Dayane. A biblioteca de Machado de Assis na elaboração de sua crítica literária: os casos de Pelletan, Sainte-Beuve e Staël. 2020. Tese (Doutorado em Letras) – Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências e Letras, Assis, 2020.

PELLETAN, Eugène. Le monde marche: lettres à Lamartine. 2 ed. rev. e corr. Paris: Pagnerre, 1858. (Gallica).

______. Profession de foi du XIXe siècle. 6 ed. Paris: Pagnerre, 1864. (Gallica).

PETIT, Edouard. Eugène Pelletan, 1813-1884, l’homme et l’oeuvre: d’après des documents inédits. Pref. De Ferdinan Buisson. Paris: Aristide Quillet, 1913. (Gallica)

SAMOYAULT, Tiphaine. A intertextualidade. Tradução Sandra Nitrini. São Paulo: Hucitec, 2008.

SAMINADAYAR-PERRIN, Corinne. Les discours du jornal. Rhétorique et médias au XIXe siècle (1836-1885). Saint-Étienne: Publications de l’Université de Sainte-Étienne, 2007.

THÉRENTY, Marie-Ève. La littérature au cotidien : poétiques journalistiques au XIXe siècle. Paris: Seuil, 2007.

______. « Pour une histoire littéraire de la presse au XIXe siècle ». Revue d'histoire littéraire de la France. 2003/3 (Vol. 103), p. 625-635.

THÉRENTY, Marie-Ève; VAILLANT, Alain. L’An I de l’ère médiatique. Analyse littéraire et historique de La Presse de Girardin. Paris: Nouveau Monde, 2001.

Downloads

Publicado

2021-01-30

Como Citar

Mussulini, D. . (2021). A poética do jornal oitocentista: um cotejo entre Eugène Pelletan e Machado de Assis. Jangada: Crítica | Literatura | Artes, 1(16), 144–161. https://doi.org/10.35921/jangada.v1i16.311